Te pergunto: Você tem lido e acompanhado minhas postagens e vídeos?
Tem feito sentido pra você?

Independente da resposta, como você se sentiu? Você foi sincero(a) em sua resposta? Acredito verdadeiramente que sim.

“Mas como você Samuel, tem tanta certeza que fui sincero?”
Porque quando respondemos a pergunta de outros, na maioria esmagadora somos sinceros, verdadeiros e honestos na resposta.

Afinal, perguntar dói? machuca? Acredito que perguntas inteligentes, NÃO. Obviamente se existem perguntas maldosas, direcionadas e com segundas intenções, ai sim.

Mas na maioria dos casos, no meu entendimento, quando perguntamos acontecem essas 3 coisas:

  1. TRANSFERE-SE RESPONSABILIDADE: Como você respondeu as minhas perguntas no começo do texto? Eu não sou obrigado a afirmar nada. Apenas informo e depois pergunto se faz sentido. Para gerar em você uma autorreflexão e interiorização da informação recém passada.
    Faça perguntas para seus filhos como:
    Você entendeu o que quis dizer? Faz sentido o que estou te dizendo?
    Ficou alguma dúvida? É isso mesmo ou é coisa da minha cabeça?
    A pessoa a quem foi feita a pergunta sai da reatividade para te dar uma resposta no mínimo plausível, honesta e de acordo com o que está em contexto.
  2. ELIMINA OS EGOS. Quando afirmo algo, eu afirmo baseado naquilo que acredito que está certo e errado: isso é EGO. Mas nem sempre as outras pessoas recebem da mesma forma e com a mesma carga de valores que eu. E caso seja diferente, é bem provável que se iniciará algum conflito. Não é assim que se iniciam as discussões e brigas conjugais?
    O Ego aparece quando você afirma algo e gera divergência de crenças e valores no outro, fazendo com que os EGOS se inflamem.
    Lembre-se: Você não precisa ter razão. Deixe que o outro pense, elabore, e se responsabilize. Assim mantem os egos em descanso.
    “Com relação a comunicação, seja com filho, cônjuge ou qualquer outra pessoa, nunca é a respeito do que você está querendo dizer. Sempre é a respeito de como a pessoa irá entender.”
    Fez sentido essa frase pra você? 😉
    E por último…
  3. MANTEM TODOS NA SUA HIERARQUIA. Caso você esteja em posição de chefia ou comando dentro de sua família ou organização, a pergunta nem sempre é bem usada. Mas já parou pra pensar que quando você pergunta pra algum subordinado, filho ou neto, você gera nele uma autovalorização?
    Mas se você está em posição de comandado dentro de sua família ou organização, perguntar pode salvar sua pele.
    Eu já fui demitido – e também mantive o emprego em outra empresa por deixar de perguntar.

A pergunta pode salvar seu relacionamento com teus filhos, com teu cônjuge, com teu chefe, ou com teus subordinados.

Lembre-se. Mudar um hábito, como o de perguntar em vez de afirmar dá trabalho. Afinal, a vida é feita para adultos. Amadurecer dá trabalho. Aprender também. A vida é construída através da dor!!

Por que então evitar os Por ques nas perguntas?

  • Já viu alguém conseguir responder porque ele fez aquilo, ou porque aconteceu isso?
  • Frases como “por que ele morreu?” “por que aconteceu isso comigo?” entre outras são bem comuns.
  • Os “por ques” são estúpidos quando relacionados a nossa reatividade. Nunca, ou quase nunca serão respondidas de forma apropriada ou adequada.

Então:

“Com relação a comunicação, seja com filho, cônjuge ou qualquer outra pessoa, nunca é a respeito do que você está querendo dizer. Sempre é a respeito de como a pessoa irá entender.”

Fez sentido essa frase pra você? 😉

Samuel Costa
Psicólogo, Coach e Consultor
(14) 98114-9404 (TIM/WhatsApp)
Marília/Pompeia, SP (Atendimento Presencial e Online).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *